noticias

‘Ele quis testar se Deus é Deus’, diz pastor sobre homem que tentou esfaqueá-lo

Segundo o pastor, o rapaz ficou irritado após ouvir cantarem uma música no louvor que diz: ‘se Deus fizer é Deus e se não fizer, continua sendo Deus’.

Após sofrer uma tentativa de esfaqueamento enquanto pregava em sua igreja, o pastor Gétero Augusto de Campos contou que realmente achou que iria morrer naquele momento compartilhou em depoimento ao G1, quais razões o jovem teria alegado para agir de forma tão agressiva na hora do culto.

Segundo Gétero, o rapaz que o atacou teria se irritado com a letra de uma música que tocou no momento do louvor e decidiu esfaquear o pastor para “testar se Deus é Deus”.

“Depois que os membros da igreja conseguiram detê-lo e a polícia o levou para a delegacia, ele disse que ouviu o louvor que canta que ‘se Deus fizer é Deus e se não fizer, continua sendo Deus’ e ficou irritado porque a mãe dele continua cega. Então, ele alegou que resolveu me esfaquear para ver se Deus era Deus mesmo e quis testar. A ação dele assustou todo mundo. Foi só gritaria. Pânico total”, disse o pastor.

O caso ocorreu no último domingo (5), na igreja “O Brasil para Cristo”, em Tatuí (SP). O momento foi acompanhando ao vivo nas redes sociais, porque a página da igreja no Facebook transmitia o culto.

Nas imagens é possível ver o momento no qual o jovem sobe a escada lateral do púlpito e puxa uma faca da cintura para atacar o pastor. Muitos fiéis gritaram e alertaram o pastor, que se virou a tempo de desviar do ataque.

Andando para trás, Gétero repetia várias vezes: “O sangue de Jesus tem poder”. Logo após isso, diáconos da igreja subiram ao palco e conseguiram conter o agressor.

“Na hora que ouvi a gritaria e virei, vi ele puxando algo da cintura. Eu pensei que fosse um revólver e fiquei com medo de morrer, sim. Foi então que os diáconos correram e eu comecei a clamar pelo sangue de Jesus. Aí o homem foi amolecendo e o braço dele foi caindo, até que conseguiram detê-lo”, disse o pastor.

Contexto

Segundo Gétero o jovem que tentou atacá-lo já é conhecido dele e de outros fiéis, pois mora ao lado da igreja.
“Conheço ele desde pequeno. Ele mora vizinho da igreja. Em 17 anos que sou pastor, essa foi a primeira vez que aconteceu isso comigo. Meu pai era pastor e já vi gente entrando na igreja e xingando, mas de invadir púlpito e com faca, não. Foi um susto muito grande para todos”, contou.

O pastor também disse que apesar do susto, o culto continuou, após o rapaz ser contido pelos diáconos. Ele também destacou que a ocorrência teve até certa relação com a pregação da noite.

“Claro que assustou muita gente. A igreja ficou em pânico. Minha mulher ficou assustada e meu filho correu pra tentar conter o homem. Mas depois do que aconteceu, preguei a palavra que, por coincidência, era sobre como a igreja deve ficar preparada para qualquer situação, já que vivemos em um mundo em que tudo pode acontecer”, explicou.

Após a conclusão do culto, um termo circunstanciado de lesão corporal tentada foi assinado, e o rapaz foi liberado em seguida. O caso ainda será investigado pela Polícia Civil.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO G1

Mais

Post Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close