noticias

Homem constrói igreja sozinho há 56 anos

Ex-monge espanhol diz que cumpre “uma missão”

Justo Gallego, 92 anos, começou a construir uma catedral sozinho, há mais de 50 anos atrás. Porém, acredita não estará vivo para vê-la inaugurada. Na pequena cidade espanhola de Mejorada del Campo, o ex-monge dedica-se diariamente a supervisionar a edificação o que acredita ser sua missão de vida.

No começo, ele trabalhava sozinho, gastando todas as suas economias em material de construção. O prédio ainda está longe de ser concluído, mas ele segue em frente. O local já recebe visitantes e possui grandes afrescos que mostram a Anunciação de Jesus e o Encontro no Templo. Mas a cobertura da catedral ainda não foi colocada.
Gallego conta que iniciou o projeto em 12 de outubro de 1961, depois que a tuberculose o forçou a deixar a ordem cisterciense e voltar para casa. Desde então, dedica-se a edificação do templo. O idoso relata que, quando tinha nove anos estourou a guerra civil espanhola. Ele passou noites fugindo de bombas e tem a vívida memória das igrejas queimadas pelos comunistas.

“Eu sonho com essa catedral desde que era criança”, explica. “Sempre amei a igreja. Quando eu era pequeno e minha mãe costumava me dar dinheiro, em vez de gastar isso em coisas bobas, comprava velas ou entregava ao padre. Tudo vem da fé que minha mãe me ensinou”.

Aos poucos, ele foi chamando atenção dos católicos espanhóis por sua dedicação. Com a ajuda de voluntários e doações e o legado, ele conseguiu manter o sonho vivo. O prédio já tem nome: Catedral da Fé.

Seu amigo Ángel López prometeu continuar o trabalho quando Gallego falecer e assegurou que a catedral um dia estará aberta definitivamente para os fiéis. “Angel é quem está no controle. Eu não posso fazer mais nada; esses dias acabaram. Eu apenas me sento e digo a Angel o que ele deve ou não fazer”, explica o ex-monge.
Ao longo dessas cinco décadas, o idealizador da catedral já teve muitos problemas. A construção está em terras pertencentes à família Gallego, que nunca recebeu permissão nem apoio do conselho municipal e tampouco do Vaticano.

Usando barras de aço, cimento, pneus de carros antigos, garrafas e força de vontade, o espanhol que não tem formação em engenharia conseguiu erguer torres, uma cripta e um claustro. A cúpula fica a 35 metros acima do piso. As colunas da edificação foram moldadas usando tambores de óleo vazios, e a cúpula é feita de latas de alimentos recicladas. Como passa muito tempo reunindo todo tipo de objetos que encontra na vizinhança e que pode ser aproveitado, muitos a chamam de “a Catedral de lixo”.

Focado na cruz
“Nunca pensei em abandonar o projeto. Preciso continuar. A única coisa que preciso é de dinheiro. Não preciso de arquitetos. Eu sou um trabalhador: me dê o dinheiro e farei algo bonito”, afirma Gallego, que mora num quarto dentro da estrutura do templo.

Todos os dias dedica tempo para conversar com turistas e visitantes. Ele diz que sabe que muitos da cidade desconfiam de sua sanidade.

“Eles pensam que tudo isso é o trabalho de um louco. Isso não me incomoda. Os fariseus disseram que Cristo estava expulsando demônios com a ajuda de Belzebu, que ele estava possuído”, compara. “Mas você tem que seguir Cristo até a cruz. Algumas pessoas são cristãs somente de nome: quando veem a cruz, elas se escondem. Eu não! Estou sempre focado na cruz”, finaliza. Com informações The Guardian PrimeGospel

Mais

Post Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close