noticias

“Meu relacionamento com Deus preenche todas as necessidades”, diz ex-drograda

A infância de Ashley foi marcada pelo divórcio de seus pais, que abusavam das drogas.

O testemunho de Ashley mostra que mesmo com uma infância conturbada, é possível mudar de vida. Ela conta que tudo o que queria era a atenção de seu pai. “Eu amava meu pai. Eu queria que meu pai me amasse, eu queria ser aceito por ele. Mas nunca senti isso”. Ashley desejava que seu pai ficasse com ela, mas sua atenção estava em outro lugar. Ela lembra: “Ele estava sempre bêbado, confuso. Então vivi muita rejeição. O fato dele dizer que me amava muito me deixava muito confusa”.

Os pais de Ashley se divorciaram quando ela tinha seis anos. Depois disso se viu ainda mais distante de seu pai. “Eu senti como se algo estivesse errado comigo, como se eu não fosse boa o suficiente para ser amada. Porque se eu fosse boa o suficiente, meu pai iria me amar. Eu estava insegura por causa disso, estava deprimida”.

Foi aí que sua mãe começou a beber e se a drogar, o que isolou Ashley ainda mais. “Eu estava muito brava com minha mãe. Nós simplesmente não tínhamos mais um relacionamento”. Ashley ainda amava seu pai e esperava que um dia ele voltasse para sua vida. Mas quando ela completou 16 anos ele morreu de uma overdose. “Eu estava brava com ele, fui abandonada toda a minha vida. Ele escolheu drogas, mulheres e essas escolhas o mataram”, ressalta.

Ashley começou a fumar, tomar remédios descontroladamente e a consumir cocaína. “Toda essa raiva e essa pressão, essa depressão que eu sentia paravam quando eu estava bêbada. Sentia-me mais leve, como nunca antes tinha sentido. E adorei”. Ashley prosseguiu dizendo: “Passei pelas mãos de muitos namorados durante esse tempo, procurando na aceitação masculina o amor de um pai. Era isso que eu queria”.

Grávida

Pouco antes de se graduar no ensino médio, Ashley descobriu que estava grávida e por causa do bebê parou de usar drogas. “Eu era tão miserável. Fiquei louca porque queria estar drogada. Eu não gostei do jeito que eu me sentia sóbria. Eu não tinha metas, nem sonhos. Eu estava deprimida e sem esperança”. Depois que Jaleigh nasceu, Ashley tentou ficar sóbria, mas a tentação era muito forte.

“Eu não usava drogas na frente dela. Queria mantê-la fora disso. Comecei a namorar com um cara, ele vendia drogas e usava também. Eu estava desesperada por ser amado por um homem, e ele me fez sentir importante”. Mas quando o pai de sua filha soube do namorado de Ashley, ele a levou ao tribunal e ganhou a custódia da garotinha, que neste momento tinha dois anos. Isso rasgou Ashley em pedaços.

Ashley ficou perdida e se entregou mais ainda às drogas. Entrou e saiu da cadeira mais de 15 vezes em apenas um ano. Ela percebeu que estava agindo como seu pai. Foi aí que um amigo de sua escola a convidou para a igreja. Ela estava relutante, mas decidiu tentar. ‘Eu só lembro de que eles estavam adorando e eu estava ouvindo as músicas. Apenas comecei a chorar. Eu chorava e chorando e isso era tão bom. Era uma sensação tão bonita e sentia o amor e aceitação de Deus”.

Apesar da experiência, Ashley ainda era viciada em metanfetamina. Ela lembra: “E eu tentava ler minha Bíblia, mas não entendia. Eu não tinha ninguém para me me ensinar. Desisti fácil e foquei nas drogas, pois era tudo o que importava. Mas nunca mais duvidei se Deus era real ou não. Eu sabia que Ele era real”. Anos mais tarde, quando se preparava se drogar, ela pensou. “Eu estava cansada disso, cansada de viver assim. Pela primeira veza vi Deus como algo que realmente importava para mim. Dizia: ‘Deus, por favor, ajude-me. Eu quero sair disso. Estou tão pronta para sair disso. Eu vou para a prisão, vou para a reabilitação, seja lá o que for preciso’. Eu sabia que teria forças se Ele estivesse comigo”.

Restauração

Quatro dias depois, ela foi presa e condenada a um programa de abuso de substâncias. “Eu queria mudar, mas senti que era muito difícil. Eu queria ser diferente”. Na primeira oportunidade, Ashley participou de um culto na prisão e entregou sua vida a Cristo. Ela disse: “Eu realmente queria parar de usar drogas e deixar a vida que eu tinha. Sabia que Deus era o único caminho. Eles fizeram uma oração e eu a repeti. ‘Senhor, confio minha vida a ti, perdoe-me dos meus pecados’”.

Ashley usou seu tempo no programa para deixar as drogas e se aproximar de Deus. Ela lembra: “Eu estava lendo minha Bíblia e orando, indo para os cultos que tinham na prisão e aprendendo mais sobre Deus. Realmente eu estava sentindo como se Ele estivesse começando a falar comigo e eu estava construindo um relacionamento com Deus”. Ela também aprendeu a perdoar seus pais. “Eu estava tão irritada com meu pai e minha mãe. Perdoar meu pai tirou um grande peso de mim”.

Após sua libertação, Ashley estava livre de drogas e estava a caminho de sua nova vida com Cristo. Hoje ela é casada e tem uma filha de três anos. Ela também compartilha a custódia conjunta de sua primeira filha, Jaleigh. “Meu relacionamento com Deus preenche todas as necessidades que eu já tive. Quero dizer, mesmo com meu pai, são apenas vazios que só Deus pode preencher. Procurava felicidade em tudo, drogas, homens, dinheiro, amigos. Mas desde que eu entreguei minha vida ao Senhor, comecei a construir um relacionamento com ele e assim eu me sentia cada vez mais perto dele, mais satisfeita em todos os sentidos. Deus é tudo o que eu preciso”, finalizou.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA CBN NEWS

Mais

Post Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close