domingo - 16 dezembro 2018

“Veremos Deus manifestar sua glória na Coréia do Norte”, afirma líder de intercessão

“Veremos Deus manifestar sua glória na Coréia do Norte”, afirma líder de intercessão

Após o final da Cúpula de Cingapura, onde Donald Trump e o Kim Jong-un assinaram um acordo para o desarmamento nuclear da península coreana, gerou-se uma grande expectativa por mudanças na Coreia do Norte, o país mais fechado do mundo.

Trump garantiu que tratou de outros temas com o líder norte-coreano, destacando que a perseguição aos cristãos foi mencionada no encontro e que “as coisas vão acontecer”.

Essa declaração foi vista por muitos líderes cristãos como um sinal que as orações que fazem a muitos anos sobre o tema serão respondidas em breve. Alguns lembram que existem profecias sobre um avivamento na região, o que não seria menos que um milagre.

O pastor filipino Jerome Ocampo, que comandou a Conferência de Oração Despertar, realizada da Coreia do Sul, perto da fronteira com a do Norte, lembra que centenas de jovens líderes de diferentes nações clamaram a Deus pela reunificação da península coreana. O evento foi em 2016 e ele acredita que muito do que estamos testemunhando agora eram pedidos de intercessão.

Ocampo, que lidera o ministério “Jesus Revolution”, com forte ênfase na intercessão, acredita que a cúpula de Cingapura irá abrir o caminho para um propósito divino na Coreia do Norte. Por isso, está pedindo os cristãos de todo o mundo que continuem orando pela reunificação daqueles países e para que os crentes norte-coreanos tenham liberdade de praticarem sua fé.

A história registra que ocorreu um grande avivamento na capital norte-coreana de Pyongyang em 1907. Mais de um século depois, o local hoje é o centro de um dos regimes que realiza a pior perseguição do mundo ao cristianismo.

Em seu livro autobiográfico, o missionário norte-coreano Kwang Choi relata que na década de 1950, logo que acabou a guerra da Coreia, resultando na divisão do país em dois, teve início a perseguição. O norte ficou na mão de um governo comunista que acusava os cristãos de serem espiões dos EUA. Missionários estrangeiros foram expulsos e foram construídos os primeiros campos de prisioneiros, para onde os cristãos continuam sendo levados até hoje.

Para Choi, é inacreditável que ainda existam cristãos no país, após mais de meio século de tentativa de extermínio da religião.

Sonho profético

Esse é um dos motivos pelos quais diferentes líderes cristãos acreditam que o mundo testemunhará em breve algo milagroso na Coreia do Norte, que impactará muitas nações.

O pastor Ocampo compartilhou também que Deus lhe deu um sonho profético duas semanas antes da conferência de 2016. Nele, Kim Jong-Um dizia que desejava ser lembrado como o líder que reuniu a Coreia do Norte e do Sul.

O líder de intercessão acredita que, Jong-Un é diferente de seu avô e seu pai, que lideraram a Coreia do Norte por décadas com mão de ferro. “Vamos orar por essa mudança. Que Deus pode trazer a mudança. Vamos ver em breve uma Coreia reunida. Pyongyang vai acolher os crentes e vamos ver Deus manifestando Sua glória de uma nova maneira, num reavivamento sobre a Coreia”, afirma. Com informações CBN

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *